terça-feira, 27 de junho de 2017

DIREÇÃO OPOSTA


Hoje, alguém me fez lembrar

 De você!

Seu lindo sorriso

O brilho do seu olhar;



As nossas lindas canções,

Com suas notas soltas

Pelo ar,

Que nos encantavam

Com às suas envolventes melodias.



E, então eu me deparei

Com você outra vez.

No virtual mundo que me rodeia

Sua imagem ressurgiu.



E, em meio às cinzas

Que restaram em nosso caminho,

Somente encontrei fiapos

Do amor que vivemos.



Nossas flores estavam

No mesmo lugar;

Escondidas no caramanchão

Que juntos construímos.



E, no deserto da nossa estrada

Ainda presente estavam,

As marcas dos nossos passos;

Seguindo na direção oposta.






























quinta-feira, 15 de junho de 2017

É PRECISO


É preciso amar para ser amado;

Viver para ser lembrado;

Cantar a mais linda canção

De amor para não ser esquecido.



Ser companheiro do silêncio,

Quando o vazio da ausência,

Se transformar na rotina da existência,

E, o início se tornar o final.



É preciso conter às lágrimas

Com o mais belo dos sorrisos,

Pois, somente assim se consegue

Descobrir a latente beleza das manhãs.



Sentir o gosto amargo das derrotas

Para poder prova a doçura das vitórias;

Experimentar o abraço frio da partida

Para poder receber o calor da chegada.



É preciso manter os sonhos vivos

Pois, se eles morrerem,

A vida não terá mais sentido

Será apenas sentimentos frágeis,



Que o vento da ilusão levará

Flutuando pelos nossos pensamentos,

Como uma folha de papel em branco.

domingo, 28 de maio de 2017

MEU CADERNO


E, o vento o levou para longe

Dos meus olhos;

Com você se foi parte

Da minha história.



Tantas noites adormeci

Abraçado a você,

Parágrafos que se sucederam

Nos incógnitos relatos;



Dos momentos e passagens

Da vida, que somente,

Eu e você sabíamos.

Das verdade e mentiras



Que juntos editámos

Na pauta de cada dia;

Das belas manhãs

Que juntos vivemos.



Na ilusão de uma poesia,

Que escrevíamos nos bares

Aconchegantes, que nos acolheram,

Quando à tarde partia.



Registrei em suas páginas

Minhas incoercíveis emoções.

Berço das minhas incontidas

Lágrimas , que teimosamente,

Passeavam pelo meu rosto.



Mas, você se foi,

Já não tenho mais o companheiro

Ouvinte dos meus queixumes.

O acervo dos meus pensamentos

Ficou mais pobre Sem você.
































sábado, 27 de maio de 2017

SEM MARCAS


Tô me vendo no espelho

Do tempo que transformou

O brilho do meu olhar,

E redesenhou o meu sorriso.



Tô passando, tô indo,

Tô fugindo, de que; não sei!

Quem sabe! Fujo de mim;

Da minha sombra.



Tô vivendo numa época

Que não é mais a minha,

Passou enquanto eu tentava

Encontrar um novo rumo.



Tô tentando me reencontrar

Com o meu eu de antigamente;

Adormecer nos campos

Verdes da infância,



E no ávido encontro

Comtemplar a imagem

Daquele menino,

Que jamais deveria ter crescido.



Tô buscando me descobrir

Em meio a tantos disfarces,

Meus caminhos perdidos

Foram traçados

Com o giz da juventude.



Já é tarde! Preciso ir,

Talvez, eu nunca

Consiga me encontrar;

Pois, por aqui passei

E, não deixei marcas.








































sábado, 6 de maio de 2017

EU NÃO NASCI PARA VOCÊ



Nós jamais seremos os mesmos
De antigamente,
Pois seguimos direções
Opostas aos nossos sentimentos;
Você é dia e eu sou noite.

E  quando nossos olhares
Se encontram  já não refletem
Mais o mesmo brilho
Dos nossos olhos.

E, assim caminhamos
Pelo avesso das nossas vidas;
Na contramão da nossa ventura.
Dos nossos desejos,

Que já não tem mais onde aportar,
Pois o único porto seguro
Que existia em nosso mundo;
Nós o destruímos;

Soltamos às amarras
Do barco da felicidade,
Que se encontrava ancorado
No cais do nosso coração.

E, ele se foi mar afora,
Levado pelo vento frio do adeus;
Navegando pelas correntezas
Turvas que outrora foram cristalinas.

Aos poucos ele vai sumindo,
Suas velas brancas se abrem
No aceno derradeiro,
De um amor que vivemos
Em toda à sua plenitude.

Talvez tenha sido melhor assim;
Nossos caminhos
Não poderiam se cruzarem;
Você jamais seria minha,
E, eu não nasci para você.






 






sexta-feira, 28 de abril de 2017

E AGORA BRASIL? (CRÔNICA)



         Deus me concedeu o a bênção de ser brasileiro de nascer em um país lindo maravilhoso que abriga todas raças de um povo alegre e hospitaleiro. Cresci ouvindo meus mestres e a imprensa daquela época afirmarem e noticiarem que seríamos a maior potência do século XXI, na minha inocência eu acreditei que tudo não era um sonho e sim uma realidade com encontro marcado no futuro, mas, para minha decepção tudo foi ilusão, pois os falsos brasileiros, travestidos de políticos não permitiram o nosso crescimento. Segundo o Índice do Fórum Econômico Mundial, o meu querido Brasil é o 4º (quarto) país mais corrupto do mundo.
         Hoje, vejo às notícias estarrecedoras serem divulgadas em todos os meios de comunicação nacionais e internacionais sobre a corrupção em nossa nação que corre solta como os furacões e tsunamis que a tudo destroem. A roubalheira está institucionalizada, devassada e legalmente constituída.  
         É uma vergonha ver corruptos julgando corruptos, hoje os números apresentados pela mídia dão conta que mais de 50 % (Cinquenta por cento) dos senadores e 60 % (sessenta por cento) da Câmara dos Deputados estão com processos investigativo, sem falar no Presidente da República e sua cúpula ministerial, de um total de 24 ministros, 15 estão sendo investigados, cerca de 62,5 % (Sessenta e dois vírgula cinco por cento). Este é o triste cenário do nosso Congresso Nacional.
           E, agora descaradamente querem imputar ao povo a culpa pelas falcatruas; pelos desmandos; pelo roubo; pela delapidação do patrimônio público; pela falta de Educação; pela falta de Segurança; pela ineficiência da saúde. E, como se não bastasse estão dizimando a nossa classe operária, aniquilando às conquistas do trabalhador, obtidas através de tantas lutas e por não dizer de vidas que foram ceifadas em busca da garantia do direito trabalhista.           
           A nossa Constituição está se tornando uma coxa de retalhos, pois a todo momento surgem às famosas PEC (Proposta de Emenda Constitucional), que em nome da Democracia, tem como finalidade alterar os dispositivos constitucionais e deve ser apreciada pelo Parlamento (CONGRESSO NACIONAL). E, eu pergunto! Será que os nossos atuais representantes no Senado Federal e Câmara dos Deputados são idôneos e estão aptos a legislar em prol dos anseios da população brasileira?
           A nossa belíssima história está sendo maculada por àqueles que foram eleitos para preservá-la e enriquecê-la ainda mais, no entanto, o que se ver são às atrocidades que estão sendo cometidas em nome de um Regime Democrático, que há muito deixou de existir em nosso país.
         Há 194 (Cento e noventa e quatro) anos, foi tomada uma heroica decisão pelo o Príncipe D. Pedro de Alcântara de Bragança, nos libertou do julgo português, e passamos a ser uma Nação livre e independente. Suportamos a ditadura militar, onde centenas de brasileiros derramaram o seu sangue pela Soberania Nacional; pela liberdade. O povo decidiu que a forma de governo deveria ser republicana, onde, o Estado brasileiro deve priorizar os direitos fundamentais, não deve admitir que o interesse privado se sobreponha ao interesse público deve fundar-se na ética e divisão e equilíbrio entre os poderes.
         Estamos vivendo uma ditadura branca, o governo manipula o Congresso, onde tem maioria absoluta e todos os seus projetos são aprovados, e nenhum objetiva o bem-estar da sociedade, haja vista, Terceirização; Reforma da Previdência e Reforma Trabalhista. Cada vez mais o índice de desemprego aumenta no país, 13,7%, equivalente a 14,2 milhões de desempregados e às consequências estão aí para quem quiser analisar; não temos Educação; Saúde e Segurança.
         Que o Senhor abençoe o nosso ordeiro e sofrido povo, os últimos acontecimentos nos obrigam a tomar uma decisão. E agora BRASIL?

Autor – J.Valdomiro.